Laboratórios e Núcleos de Pesquisa

Os laboratórios de ensino e de pesquisa e núcleos de pesquisas e de extensão são constituídos de professores pesquisadores, alunos de graduação, participantes de programas de iniciação científica ou similares, congregados em torno de projetos de pesquisa/extensão e de atividades acadêmicas afins, objetivando a formação de recursos humanos especializados, a produção científica e a divulgação de seus resultados.

.

LEC (Laboratório de Estudos de Cinema)

O Laboratório de Estudos de Cinema é responsável pelo armazenamento, manutenção e empréstimo de equipamentos (de gravação de imagens e de áudio), e pelo armazenamento, manutenção e agendamento da utilização de microcomputadores, disponíveis para utilização preferencial em exercícios e trabalhos audiovisuais por estudantes dos Cursos de Cinema e Artes Cênicas da UFSC. Está subordinado administrativamente ao Curso de Graduação em Cinema.
São atribuídas ao Laboratório de Estudos de Cinema (LEC) as seguintes funções:

  • Armazenar e manter os equipamentos disponíveis no Curso de Cinema, bem como planejar a aquisição de novos equipamentos de acordo com as necessidades, em trabalho conjunto com o Setor de Compras do CCE;
  • Garantir o agendamento e o empréstimo dos equipamentos de gravação, conforme as normas vigentes;
  • Garantir o agendamento e a correta utilização dos equipamentos de edição (microcomputadores), conforme as normas vigentes;
  • Selecionar e zelar pela boa atuação dos monitores e bolsistas que atuam no Laboratório, mediando os processos de agendamento e empréstimo, instruindo os usuários sobre a utilização correta dos programas de edição, bem como sobre regras básicas de manutenção e manipulação de equipamentos de gravação e acessórios;
  • Elaborar e realizar cursos técnicos complementares para estimular a correta utilização dos equipamentos disponíveis pelos estudantes do Curso de Cinema;
  • Garantir a assinatura de termos de compromisso com estudantes que se utilizarão de equipamentos do Laboratório para a realização de seus TCCs.
  • Armazenar a produção audiovisual realizada pelos estudantes durante o Curso de Cinema, inclusive os Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs).

Supervisor do LEC: Professora Andréa Carla Scansani (Daraca)

.
NALS (Núcleo de Aquisição de Língua de Sinais)

O Núcleo de Aquisição de Língua de Sinais é constituído de professores, pesquisadores, alunos de graduação e pós‐graduação, servidores técnico‐administrativos e profissionais de áreas afins, congregados em torno de projetos de pesquisa e de atividades acadêmicas, de forma transdisciplinar, objetivando a pesquisa e desenvolvimento de estudos envolvendo a aquisição da língua brasileira de sinais – Libras – a formação de recursos humanos especializados, a produção científica e a divulgação de resultados e a constituição de um banco de dados de aquisição da Libras.

Coordenadora: Professora Doutora Ronice Müller de Quadros

Projetos em Andamento:

Desenvolvimento Bilíngue Bimodal (Projeto Financiado pela National Institute of Health)

Este projeto investiga o desenvolvimento bilíngüe bimodal a partir do estudo de uma língua de sinais e uma língua oral utilizadas por crianças surdas com implante coclear (CI) e crianças ouvintes filhas de pais surdos (codas). A maioria das pesquisas conduzida entre as crianças surdas com CI se concentrou no desenvolvimento da língua oral por elas, quer estivessem em contextos orais, quer nos de comunicação total. Entretanto, nenhuma investigação científica examinou ainda o desenvolvimento de uma língua de sinais e de uma língua oral enquanto dois sistemas de uma criança bilíngüe, comparando-as com a situação bilíngüe bimodal natural vivenciada pelas codas. A pesquisa vai analisar três questões centrais conforme apresentado a seguir: (1) Como a exposição precoce à língua de sinais e à língua oral afeta o desenvolvimento de cada modalidade na criança surda sinalizante com um CI? (2) Até que ponto o desenvolvimento de crianças bilíngues bimodais com acesso às línguas é restringido de forma semelhante à que acontece com os bilíngues monomodais? (3) Até qual nível de extensão o desenvolvimento lingüístico da criança surda com CI que cresceu bilíngue bimodal se parece com o de uma criança ouvinte bilíngüe bimodal (codas)? Respostas a estas perguntas contribuíram para a educação de crianças bilíngues bimodais, além de contribuírem para o desenvolvimento dos estudos sobre a aquisição bilíngue e bimodal.

Sub-Projeto do Projeto Desenvolvimento Bilíngue Bimodal – Identificador de Sinais

O Identificador de Sinais é uma ferramenta que está sendo proposta para as pesquisas relacionadas com corpus de línguas de sinais, no contexto do projeto de aquisição bilíngüe bimodal. Esse projeto investiga o desenvolvimento bilíngue bimodal a partir do estudo de uma língua de sinais e uma língua oral utilizadas por crianças surdas com implante coclear (IC) e crianças ouvintes filhas de pais surdos (codas). A pesquisa de aquisição bilíngüe bimodal faz uso tanto de uma produção espontânea longitudinal de dados e de exercícios experimentais com crianças na faixa etária de 01 ano e 6 meses (1:6) até 07 anos.

Os dados coletados passam a fazer parte de um banco de dados de aquisição de língua de sinais constituindo o corpus de aquisição da Libras. Esse banco de dados é composto dos vídeos e das respectivas transcrições. Com o desenvolvimento das transcrições, verificou-se a necessidade de criar um instrumento metodológico para nomear sinais por meio de glosas, o qual chamamos de Identificador de Sinais. Ao usarmos os identificadores de sinais em nossas transcrições, passamos a ter condições de torná-las mais eficientes, devido aos sistemas de buscas existentes no sistema de transcrição que usamos (Eudico Annotator – ELAN). Isso facilitará imensamente as pesquisas em andamento, bem como,  projetos futuros que envolvam análises de produção em sinais. O Identificador de Sinais estará disponível de forma aberta e gratuita para todos os interessados em utilizá-lo e alimentá-lo como fonte de pesquisa.

Equipe do Projeto:

Coordenadora: Ronice Müller de Quadros – CCE/DALi

Participante: Patrícia Luiza Rezende – CCE/DALi

Participante: Aline Nunes de Souza – CCE/DALi

Participante: Sandra Quarezemin – CCE/DLLV

Participante Externo: Carina Rebello Cruz – Escola de Surdos Frei Pacífico

Participante Externo: Lucyenne M. da C. V. Machado – UFES

Participante Externo: Núbia Saraiva Ferreira Rech – UFFS/Campus Erechim

Aluno: Alan Luis Rodrigues – Letras-LIBRAS/Licenciatura

Aluna: Daiana Natal Meller – Jornalismo

Aluno: Edgar Correa Veras – EaD – Libras/Licenciatura

Aluno: Franz Kafka Porto Domingos – Letras-LIBRAS/Bacharelado

Aluna: Gabriele C. Rech dos Passos – Pós-Graduação em Linguística

Aluna: Janine Soares de Oliveira – Pós-Graduação em Estudos da Tradução

Aluna: Karina Elis Christmann – Letras-LIBRAS/Licenciatura

Aluno: Nelson Pimenta de Castro – EaD – Libras/Licenciatura

Aluno: Ramon Dutra Miranda – Ciências da Computação

Aluno: Rundesth Saboia Nobre – Letras-LIBRAS/Licenciatura

.

NPD-SC www.npdsc.ufsc.br

O Núcleo de Produção Digital de Santa Catarina (NPD-SC) é uma iniciativa de apoio e fomento à atividade audiovisual no Estado, por meio de ações de formação e incentivo à produção e à reflexão. O projeto é resultado de um convênio entre a Universidade Federal de Santa Catarina, a Cinemateca Catarinense – ABD/SC, o FUNCINE (Fundo Municipal de Cinema de Florianópolis) e o Ministério da Cultura, através do Programa Olhar Brasil.
Uma das frentes de atuação do NPD-SC é a realização de oficinas de formação audiovisual em Florianópolis, voltadas para a produção em formato digital e para a reflexão sobre o audiovisual. Elas contemplam duas frentes: formação audiovisual básica; formação técnica especializada. As oficinas introdutórias, voltadas para um público mais amplo, pretendem possibilitar aos participantes um primeiro contato com a linguagem e a reflexão sobre o audiovisual. Já as oficinas técnicas especializadas, voltadas para estudantes de cinema e profissionais que atuam no mercado audiovisual local, oferecerão formação específica em equipamentos digitais, introduzindo e desenvolvendo as potencialidades estéticas destes formatos.
É coordenado por um Conselho formado por representantes das três instituições parceiras: UFSC, Cinemateca Catarinense e FUNCINE.
Representante da UFSC nesse Conselho: Professor Mestre José Cláudio Siqueira Castanheira

TRËMA

O Laboratório TRËMA tem como objetivos: investigar, conceber e avaliar produtos e interfaces científicas e tecnológicas na área das poéticas audiovisuais (cinema experimental, vídeo-arte, videopoema, …) e do cinema expandido (paisagem urbana, site specific, performance, instalação, intervenção, …).

Participantes: Aglair Bernardo, Bárbara de Andrade Neri

Coordenadora: Clélia Maria Lima de Mello e Campigotto

.

ILUCENO

O espaço denominado “ILUCENO” é composto pelo Laboratório de Iluminação e pelo Laboratório de Cenotécnica do  Curso de Artes Cênicas, e está localizado no Redondo de Artes Cênicas. Objetivo: apoiar as disciplinas e projetos de extensão e de pesquisa do DALi. O ILUCENO proporciona aos alunos de Artes Cênicas outra forma de aprendizagem além da sala de aula. Serve como fonte de consulta e auxílio para os alunos realizarem as suas tarefas dentro e fora das disciplinas, englobando duas áreas do conhecimento artístico prático, o auxílio na criação e a execução da iluminação e a construção do cenário para as atividades curriculares. Para tanto, o Laboratório dispõe aos alunos, equipamentos e servidores capacitados para atender todas as suas dificuldades auxíliando na construção do conhecimento.

Servidor técnico-administrativo – Operador de Luz: Gabriel Guedart e Cenotécnico: Guilherme Rótulo

LABORATÓRIO DE FIGURINOS

É o laboratório de Figurino do Curso de Artes Cênicas, localizado no Redondo de Artes Cênicas,que reune o acervo de figurinos e indumentárias do curso e tem como objetivo  apoiar as disciplinas e projetos de extensão e de pesquisa  do DALi e emprestar o acervo para discentes e docentes dos cursos de Artes Cênicas e Cinema da UFSC; conservar e manter em bom estado as peças de vestuário utilizadas nas aulas e nos espetáculos e  manter organizado o acervo.

Servidora técnico-administrativo – Camareira de Espetáculo: Rachel Teixeira Dantas